Picture

Entrevista com Kotaro Tuji Neto

Sou paraense e cheguei ao Japão em julho de 1990 com a idade de 23 anos e com um objetivo básico de obter conhecimento das técnicas japonesas e alavancar minha carreira a qual estava investindo na época que era engenharia mecânica, a ideia era passar 6 meses.

Acabei por me identificar com o Japão e descobrir minhas raízes, e me encontra aqui já por 23 anos.

Estudei muita coisa desde agrimensura, mecânica industrial, inúmeros cursos. No entanto. Identifiquei-me mesmo foi com a administração de empresas e a gestão de pessoas.

Atualmente sou administrador de empresas, coach com certificação internacional, consultor e pós-graduado em gestão de pessoas e autor de vários livros.

Atualmente trabalho de forma extensiva no desenvolvimento do ser humano como instrutor de coaching pela Academia Brasileira de Coaching, nas áreas de autoconhecimento, descobertas de talentos, e as diversas formas do coaching de vida e executivo, além da paixão pelo empreendedorismo.

Visto ter saído do Brasil ainda novo, tive poucas oportunidades de trabalho, apenas os estudos foram minhas atividades.

Que te levou a querer abrir seu próprio negócio? Motivação.
Lembro-me como se fosse hoje. Depois de uns 4 anos trabalhando no Japão, cresceu o desejo de trabalhar de igual para igual com o japonês. Comecei a me dedicar aos estudos da língua e escrita, e em pouco tempo alcancei o meu objetivo, ser chefe de seção.

No entanto, não me sentia realizado, embora tivesse um bom salário e prestígios dentro da empresa, me sentia preso e isso me deixava desanimado.

A maior motivação era o desejo de liberdade de escolher a hora para trabalhar e desenvolver minhas próprias ideias e percebi que isso só seria possível montando meu próprio negócio.

De onde veio a sua ideia de negócio para sua empresa?
Depois de alguns anos no Japão, comecei a perceber a tendência do não retorno imediato como planejado dos brasileiros e latinos. Então surgiu uma pergunta em minha mente, será que os estrangeiros no Japão vão mesmo retornar logo? Sei que o brasileiro tem espírito empreendedor, e decidi juntamente com uma japonesa que era contadora arriscar em um escritório de contabilidade e administração.

Muitos me disseram que era loucura fazer isso, pois os estrangeiros não vieram montar negócios, mas sim trabalhar, juntar dinheiro e retornarem no máximo em dois anos.

Ainda assim, minha visão empreendedora me falava ao contrário.

Em 1996, abri meu primeiro negócio, com o nome da empresa Bel Japan Co. Ltda.

Nesses últimos 17 anos foram mais de 250 empresas abertas e mais de 1500 pessoas passaram por meus treinamentos.

Quais foram os maiores obstáculos?
Foram vários obstáculos entre eles posso citar:
– A comunicação. Além do idioma era preciso compreender a forma de comunicação dos japoneses e sua cultura,
– Conquistar a credibilidade da comunidade brasileira e latina de que, os serviços prestados seriam da mesma qualidade e confiança que a dos japoneses,
– Descobrir bons parceiros japoneses que acreditassem neste novo mercado e a disposição de adaptação aos estrangeiros,
– O meu maior obstáculo acabou sendo eu mesmo. Levei um bom tempo para descobrir meus talentos e definir minha missão.

Como você descreveria sua experiência hoje e o sucesso de seus negócios atualmente?
Experiência pra mim é um conjunto de acertos e erros ao longo do tempo. Os erros devem ser interpretados como formas de aprendizado, mas é preciso reflexão, sempre me pergunto quando algo da errado: O que aconteceu? Onde posso melhorar? O que preciso fazer ou deixar de fazer para que isso não se repita? E acima de tudo, qual foi o aprendizado de tudo isso!

A mesma coisa nos acertos. Qual ponto forte foi utilizado? Quais as pessoas que estavam ao meu lado? De que forma posso repetir isso?

Isso sim pra mim é destino! Tornar as ações inconscientes o mais consciente possível.

Acredito ser uma pessoa de sucesso, só por isso, já sou um sucesso! Aprendi que para ser feliz eu mesmo preciso determinar o que é sucesso. Fica muito difícil você ser um sucesso com o padrão de outras pessoas.

Sucesso pra mim é ver meus filhos sorrindo e alegres! É ter certeza de fazer a pessoa que amo feliz! É ter uma consciência tranquila com o meu semelhante, e contribuir para uma sociedade mais justa e próspera.

Minha missão é a disseminação do conhecimento de como o ser humano pode alcançar o seu máximo potencial na vida pessoal e profissional.

A comunidade e os clientes correspondem de forma positiva, e me dão alegria, compreensão e também dinheiro, esse é o meu sucesso!

Seu maior erro no caminho do sucesso como empreendedor?
Demorar em descobrir meus talentos e em consequência disso fiz péssimas escolhas.

Uma dica para um emigrante brasileiro, que esta pensando em empreender?
1- Não importa em qual setor, você pensa em empreender. Descubra seus principais talentos e desenvolva para que se torne em pontos fortes. Tudo que você fizer dará certo!

2- Ande sempre que possível com pessoas sinceras e competentes.

3- Não tenha medo de desistir e mudar, nem sempre estamos no caminho certo. Alinhe seus talentos e sua consciência, o caminho vai aparecer.

4- A maioria nem sempre tem razão!

5- Ser estrangeiro tem suas vantagens e desvantagens. Foque mais nas vantagens e utilize-as.

Caso a estoria e as mensagens do nosso querido Kotaro Tuji te inspira, comente e partilhe conosco.
Seu blog: http://kotarotsuji.blogspot.ch